Memorial Descritivo – Como Incorporadoras Podem Elaborar?

Memorial Descritivo

Compartilhar esse conteúdo

Em um mercado imobiliário cada vez mais competitivo, o Memorial Descritivo se destaca como uma ferramenta estratégica para o sucesso de um empreendimento. Mais do que um mero documento legal, ele representa a oportunidade de apresentar o projeto aos futuros compradores de forma clara, precisa e atraente.

Para incorporadoras, o Memorial Descritivo assume um papel crucial:

1. Transparência e Segurança:

  • Fornece informações precisas e detalhadas sobre o imóvel, desde os materiais de construção até os equipamentos e acabamentos, evitando surpresas e frustrações para os compradores.
  • Permite que os compradores comparem diferentes projetos com base em critérios objetivos, promovendo a transparência no processo de venda.

2. Valorização do Empreendimento:

  • Permite destacar os diferenciais do projeto, como a qualidade dos materiais utilizados, as tecnologias inovadoras e os acabamentos de alto padrão.
  • Possibilita a diferenciação do empreendimento em um mercado competitivo, agregando valor ao produto final e aumentando o potencial de retorno financeiro.

3. Agilidade nas Vendas:

  • Facilita a compreensão do projeto pelos potenciais compradores, permitindo que visualizem com clareza as características do imóvel.
  • Agiliza o processo de decisão de compra, diminuindo o tempo entre a divulgação do projeto e a assinatura do contrato.

4. Redução de Riscos:

  • Minimiza o risco de contestações e problemas jurídicos futuros, pois as informações sobre o imóvel são claras e precisas.
  • Protege a incorporadora e os compradores, garantindo que ambos estejam cientes das características do imóvel e das condições de venda.
Memorial Descritivo Incorporadoras

Elaborando um Memorial Descritivo Eficaz e Atraente:

A chave para um Memorial Descritivo eficaz e atraente reside em sua estrutura clara e concisa. As informações devem ser organizadas de forma lógica e facilmente acessível, abrangendo os seguintes aspectos:

1. Identificação do Empreendimento:

  • Nome completo do empreendimento.
  • Endereço completo, incluindo CEP e bairro.
  • Número de inscrição no CNPJ.
  • Nome da incorporadora e da construtora, com seus respectivos dados de contato.

2. Descrição Detalhada das Unidades:

  • Tipologia das unidades (apartamentos, casas, etc.).
  • Área privativa e área total de cada unidade, com metragem precisa.
  • Quantidade de quartos, banheiros e demais cômodos, com especificações (suíte, demi-suíte, etc.).
  • Posição das unidades no edifício (andar, posição em relação ao sol, vista externa, etc.).
  • Layout das unidades com metragem de cada cômodo, incluindo planta baixa e perspectivas 3D (se disponível).

3. Materiais de Construção e Acabamentos:

  • Detalhes específicos dos materiais utilizados na estrutura do prédio (fundações, pilares, lajes, etc.).
  • Descrição completa dos materiais utilizados nas paredes, pisos e tetos de cada ambiente (tipo, marca, cor, textura, etc.).
  • Revestimentos das áreas internas e externas, com especificações de materiais, cores e texturas.
  • Tipo de portas e janelas, incluindo materiais, ferragens e sistemas de abertura.
  • Equipamentos e louças dos banheiros, com detalhes de marcas, modelos e funcionalidades.
  • Materiais utilizados na cozinha, incluindo revestimentos, armários, pias, eletrodomésticos e metais.

4. Instalações e Equipamentos:

  • Descrição completa do sistema elétrico, incluindo tipo de fiação, disjuntores, tomadas e interruptores.
  • Detalhes do sistema hidráulico, com especificações de tubulações, caixas d’água, sistema de pressurização e hidrômetros.
  • Informação sobre o sistema de gás (se houver), incluindo tipo de gás, tubulações e equipamentos de segurança.
  • Descrição do sistema de segurança (se houver), com detalhes sobre câmeras de vigilância, alarmes, portaria e controle de acesso.
  • Quantidade e tipo de elevadores, com informações sobre capacidade, velocidade e sistema de segurança.
  • Especificação sobre o sistema de ar-condicionado (se houver), incluindo tipo de aparelho, capacidade e sistema de controle.
  • Informação sobre a disponibilidade de internet e TV a cabo, com detalhes sobre provedores, planos e custos.

5. Descrição das Áreas Comuns:

  • Detalhamento das áreas comuns do empreendimento, como piscina, salão de festas, playground, academia, churrasqueira, etc.
  • Especificação dos materiais utilizados nas áreas comuns, incluindo revestimentos,
  • pisos, mobiliário e equipamentos.
  • Descrição das funcionalidades e regras de uso das áreas comuns, proporcionando clareza aos condôminos.
  • 6. Condições Gerais de Venda:
  • Forma de pagamento do saldo devedor, incluindo prazos, indexadores e taxas.
  • Prazo de entrega das chaves, com definição da data base e eventuais penalidades por atraso.
  • Valor e condições de pagamento da multa por atraso na entrega.
  • Detalhamento da garantia do imóvel, especificando o prazo e o escopo da cobertura.

Além dos itens citados, é fundamental atentar para as seguintes recomendações para a elaboração de um Memorial Descritivo eficaz:

  • Linguagem clara e objetiva: Evite termos técnicos complexos e jargões jurídicos que possam dificultar a compreensão do documento pelo público leigo.
  • Informação completa e precisa: Seja detalhista e inclua todas as informações relevantes sobre o imóvel, evitando omissões que possam gerar dúvidas ou frustrações.
  • Organização e formatação: Apresente o conteúdo de forma organizada e com formatação clara e legível, utilizando tópicos, subtópicos e marcadores para facilitar a navegação.
  • Imagens e ilustrações: Utilize imagens de alta qualidade e ilustrações técnicas para facilitar a visualização do projeto pelos potenciais compradores.
  • Revisão profissional: Contrate um advogado ou especialista em direito imobiliário para revisar o documento e garantir sua legalidade e conformidade com a legislação vigente.

Atualizações Relevantes para 2024:

A legislação brasileira que rege os Memorais Descritivos passou por algumas atualizações importantes em 2024, com foco em aumentar a transparência e a proteção dos consumidores do mercado imobiliário. As principais mudanças incluem:

  • Maior clareza e detalhamento das informações: As incorporadoras agora são obrigadas a fornecer informações mais detalhadas e precisas sobre os materiais de construção, acabamentos e equipamentos utilizados no empreendimento. Isso possibilita uma comparação mais justa entre diferentes projetos e uma melhor avaliação do custo-benefício por parte dos compradores.
  • Inclusão de informações sobre a sustentabilidade do projeto: As incorporadoras devem incluir informações sobre as medidas de sustentabilidade que serão adotadas no empreendimento, como uso de energia renovável, materiais reciclados, sistemas de reaproveitamento de água e sistemas de eficiência energética. Essa medida valoriza o projeto junto a um público cada vez mais preocupado com a questão ambiental.
  • Disponibilização do Memorial Descritivo online: As incorporadoras agora devem disponibilizar o Memorial Descritivo online em seus websites ou em plataformas de vendas dos imóveis. Essa facilidade permite o acesso rápido e descomplicado do documento por parte dos potenciais compradores, tornando o processo de compra mais transparente e ágil.

Conclusão

O Memorial Descritivo é um documento essencial para o sucesso de qualquer empreendimento imobiliário. Ao elaborar um Memorial Descritivo claro, preciso, completo e atraente, as incorporadoras podem se diferenciar no mercado, conquistar a confiança dos potenciais compradores, agilizar o processo de vendas e garantir a satisfação dos futuros moradores.

Para mais informações, consulte um advogado ou especialista em direito imobiliário.

Artigos Relacionados

plugins premium WordPress